Escritora de textos que expressam o Cotidiano & Seus Clichês, que acometem à todos nós.

quinta-feira, 3 de setembro de 2015

Naná

Existem vários tipos de pessoas, seres plurais e que têm muita coisa em comum com outras pessoas.
Mas ninguém é igual a Naná! Ninguém mesmo!!!
Sabe, ao parar pra escrever sobre ela, me questionei pelo fato de não ter feito isso antes, afinal, ela é aquela que fala o que pensa sem demagogia, mas seus olhinhos em formato de peixe (peixe vivo, odeio a expressão "olho de peixe morto") brilham pela nossa felicidade e nunca empresta o ombro sem que esteja realmente disposta a acolher nossas tristezas e mágoas.
A Naná sempre arrumou um jeito de mostrar que só a gente já bastava pra uma festa ser boa, e ela em todas as vezes provava que tinha razão! A gente guarda até hoje rabiscos de uma infância que foi a melhor que pudemos ter, nas férias que tivemos e vivemos com muita intensidade estão as maiores e melhores histórias de nossas vidas. Com a Naná, já gravei clipe de garota fantástica na praia e obviamente foi um fiasco, raspei pedra no muro pra fazer amizade com os meninos da rua, roubava flores do Guto pra fazer bouquet todo dia pra nossa família.
Com a minha prima Naná, tenho a extensa coleção de cartas escritas com lágrimas nos olhos sempre que uma se despedia da outra, conheci o Pimentas do Reino, decorei coreografias da igreja, era com ela que me sentia a própria Sandy, porque ela não reclamava nunca de ouvir várias vezes os cds que tinha. Também foi com a Naná que entendi que amizade mesmo é invisível mas concreta, que independente de qualquer distância física uma nunca mudou com a outra, é, às vezes a gente não compreende esse troço todo que dizem sobre alma gêmea, só que se tem uma coisa que tenho certeza nessa vida é que esse laço com a Naná é de alma, de coração.
Ela me inunda com o jeito que esbanja euforia com as boas notícias, faz com que eu acredite em mim sempre que escrevo um texto e o reprovo, mas ela não! Por pior que seja o que esteja escrito, ela gosta e de verdade, porque eu sei que ela aprecia o que sai de mim por alguma razão. A Naná é uma prima, mas poderia ser uma irmã, porque pra mim só muda a categoria e de jeito nenhum o sentimento,
Naná você existe porque têm coisas que "Eu só faço com você".

Joany Talon

Nenhum comentário:

Postar um comentário